“Abertura de quadris”: é isso mesmo?

“Abertura de quadris”: é isso mesmo?

Repensando abertura e rotação externa e interna

Você já reparou que muitas vezes a gente chama de “abertura de quadris” um movimento ou uma postura onde os joelhos estão afastados um do outro?

Será que é bem assim?

Algumas linhas de trabalho corporal inclusive enfatizam muito este tipo de posição, onde as coxas estão em rotação externa ou rotação lateral (quando gira a face anterior do membro para fora).

Olhar para a anatomia e a fisiologia do parto me ensinou que a pelve não é apenas um “tubo” pelo qual passa o bebê, ela é complexa e apresenta uma grande riqueza de movimentos intrínsecos e extrínsecos, tanto para atender as funções do quotidiano (andar, sentar, etc…) como para facilitar a passagem do bebê.

Então, talvez ao falar de “abertura de quadris” podemos perguntar: Onde? Como?

Abrindo em cima? Em baixo? Transversalmente? No diâmetro anteroposterior? Obliquamente? Ou uma combinação disso?

Sem querer complicar as coisas mais do que necessário, podemos simplesmente pensar em variedade de movimentos.

Uma dica: experimentar movimentos ou posições com a(s) perna(s) em rotação interna ou medial (gira a face anterior do membro para dentro), e observar o que acontece com a pelve (apalpando para sentir melhor, observando também o que sente ao nível do períneo, da lombar, etc…). 

Neste vídeo,  coloco isso em prática em 10 minutos:

Fonte da foto: ZoomZee.org no Pinterest.

Foto meramente ilustrativa – é difícil encontrar boas imagens sobre isso. Tem desenhos maravilhosos nos livros da Blandine Calais-Germain, mas eles não podem ser reproduzidos sem autorização.

posts relacionados

Últimos posts